Respiração Hipnótica (hiperventilação terapêutica)

025PRÓXIMO CURSO
hiperv
HIPERVENTILAÇÃO Terapêutica(Respiração Hipnótica)

Excelente método de indução baseado nas Escolas Orientais e Terapias Diversas como: Respiração de Renascimento (Rebirthing) de Leonard Orr;
O trabalho de Stanislav Grof – “Holotropia” respiração holotrópica;
A Técnica de Paulo Urban – “Psicoterapia do Encantamento”.

A UTILIZAÇÃO DA HIPERVENTILAÇÃO COMO MÉTODO TERAPÊUTICO tem como origem:
Os Estudos da origem na relação da Medicina Psicossomática e o Aparelho Respiratório.
A Hiperventilação como um dos facilitadores nos estados alterados de consciência;
Os Estudos sobre “A respiração” presente nos estados afetivos e emocionais;

Hiperventilação: Fonte: Fernando O. Bastos: “Aspectos Atuais da Hipnologia” Cap 24 pág 1,2,3 e 4

Técnica de Auto-Hiperventilação

Para a aplicação da técnica em si, basta seguir os passos abaixo. Como dito na introdução deste conteúdo, as informações do texto na versão completa são acessórias, entretanto, são muito importantes e valiosas para a pessoa compreender o que ocorre consigo mesma durante esse processo, que é bastante forte na maioria das vezes, além de captar todas as nuances, detalhes e variações do processo.

As técnicas de hiperventilação aqui descritas são para processos de cura, renascimentos, vivências místicas, dentre outros.
Esta forma específica de respirar amplifica a intensidade e os efeitos respiratórios. Caso “não flua” muito bem contigo, mantenha então os dois focos principais: respirar mais do que o necessário e circularmente, sem intervalos entre inspiração e expiração, assumindo inclusive outras ou novas formas de continuar o processo, inclusive as indicadas adiante.
•    deitar de barriga pra cima;
•    respirar voluntariamente, mais do que o necessário, durante muitos minutos. Em torno de 1 hora é um período que traz vivências intensas para a maior parte das pessoas – após 15 ou 20 minutos, os primeiros efeitos normalmente começam a ser percebidos. Muitos renascimentos com hiperventilação são conduzidos por períodos superiores a três horas;
•    tão relaxado quanto possível;
•    mexendo-se o menos possível (*);
•    boca entreaberta;
•    respiração torácica, alta, mais costal do que diafragmática. Acentuando o “movimento para cima”. Foco nos músculos intercostais (faces laterais do tórax);
•    sem pausas – respiração circular;
•    expiração passiva – muito importante este tópico – veja exercício específico para perceber e treinar esta prática.
•    foco da atenção na própria respiração, aconteça o que acontecer (meditação sobre hiperventilação).

Bem executada, a HPV com as técnicas acima:
•    a pessoa parece estar ansiando, aspirando ou desejando algo com certa premência. Parece a respiração de quem recobra o fôlego após grande esforço: APÓS o esforço, e não em estado de estar se esforçando…;
•    não gera cansaço, especialmente abdominal.